Notícias

INTERIORIZAÇÃO DA UFPA EM LIMOEIRO

POR DENIS | 07 DE JANEIRO DE 2019 | 42
INTERIORIZAÇÃO DA UFPA EM LIMOEIRO

Por meio do Campus Universitário do Tocantins/Cametá - UFPA, o Município de Limoeiro, há alguns anos, assumiu a experiência do Projeto de interiorização da UFPA e um dos requisitos desta prática fundamental tem sido: contribuir para a formação profissional acadêmica, da sociedade limoeirense.

Atualmente funcionam no Polo de Limoeiro do Ajuru, os seguintes cursos: Letras/Português, Pedagogia, Geografia, Matemática, Educação do Campo e PARFOR (Letras e Pedagogia). Vale destacar: o PARFOR tem turmas, que já estão, praticamente, na fase final dos cursos, elaborando seus Trabalhos de Conclusão (TCC) para defender neste ano de 2019.

Vale a pena investir em educação!

HISTÓRIA DA INTERIORIZAÇÃO DA UFPA

A iniciativa pioneira da UFPA de levar a Universidade para o interior

Nos anos 80, quando o projeto de interiorização da UFPA iniciou-se, estima-se que mais de 60% da população do Pará moravam no interior e menos de 1% destes chegava ao término do que, hoje, chamamos de ensino fundamental. Além disso, apenas 1% dos professores contratados naquele período, os quais davam aulas nos ensinos fundamental e médio, possuía nível superior.

Visto isso, surgiu na UFPA a necessidade de se implantar um processo de interiorização, que além de auxiliar no desenvolvimento intelectual da população, levasse a outros locais do estado cursos que pudessem fortalecer a educação básica dessas cidades e auxiliá-las com formação de mão de obra especializada.

Em sua fase inicial, o projeto, que começou por iniciativa própria da UFPA, incorporou os campi de outras universidades do país que estavam presentes no Pará, como a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Universidade de São Paulo (USP). Após isso, com o apoio de programas de expansão universitária, como o REUNI - Reestruturação e Expansão das Universidades Federais e outros, foi possível garantir mais recursos para adentrar em outras localidades do estado. O processo de expansão para o interior do estado, conhecido como Universidade Multicampi, conta atualmente com instalações nas cidades de Abaetetuba, Altamira, Ananindeua, Bragança, Breves, Cametá, Castanhal, Capanema, Soure e Tucuruí.

Na maioria dos campi, os cursos oferecidos estão vinculados à formação de profissionais para atuar na educação básica, mas também há cursos que são oferecidos com o duplo objetivo de desafogar a alta procura em Belém e formar profissionais especializados para atuação em suas regiões. Como exemplos podemos apontar o curso de Medicina Veterinária, em Castanhal; Engenharia de Pesca, em Bragança; Engenharia Florestal, em Tucuruí; e Etnodiversidade, em Altamira.

Compreendendo a importância dos cursos ofertados no contexto socioeconômico de cada cidade é possível perceber o impacto da interiorização na formação dos estudantes, sua contribuição no progresso de cada município, além de sinalizar os próximos passos a serem dados neste projeto que foi um dos pioneiros na Região Norte [...]

 

Deixe seu comentário